Porto Velho (RO) sábado, 27 de novembro de 2021
×
Gente de Opinião

Política Sindical

Entrevista com Brunno Oliveira, o Jovem Prodígio do Sindicalismo em Rondônia

"A mentira não se sustenta por muito tempo".


Entrevista com Brunno Oliveira, o Jovem Prodígio do Sindicalismo em Rondônia  - Gente de Opinião

O nosso entrevistado da semana é o jovem servidor do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, Brunno Oliveira, que foi candidato a Presidente do Sinjur em 2020, ficando em segundo lugar com 496 votos.

1 - Brunno, tudo bem? É um prazer conversar contigo de novo, você que é um jovem promissor na política, que atua sempre com foco na defesa dos servidores públicos mesmo sem ter mandato e eu já começo a nossa entrevista te parabenizando pelos 496 votos. Não deve ter sido fácil, tendo em vista que os candidatos à reeleição usam a máquina em benefício próprio né verdade?

Tudo ótimo Carlos Caldeira, obrigado pelo convite, o prazer é todo meu. Bom, são duas situações que eu poderia falar sobre esse tópico inicial. A primeira é que nós ganhamos a eleição e vamos provar isso, só não posso entrar em detalhes agora. E a segunda é que a Chapa 2 está de parabéns, pelo brilhante desempenho demonstrado e eu valorizo muito isso, a humildade e a determinação. Realmente não é fácil e só quem está na pele sabe. Mas todas as dificuldades a gente supera.

2 – O uso indevido da máquina não pode ser gerar a nulidade da eleição?

Sim, inclusive, essa prática já está se tornando uma rotina no Sinjur. Usam a máquina o tempo todo, para satisfazer as suas ambições políticas e pessoais. O compromisso com os valores éticos, a verdade e a transparência é inexistente. É uma demagogia que cansa, olha só eles reclamam que o Tribunal é carrasco, mas eles fazem pior. O papel do sindicato deixou de ser a luta pelo bem comum e passou a ser a luta pelo bem individual dos diretores, que se acham intocáveis e super protegidos. 

3 - Como vai ficar a questão da contratação sem concurso no Tribunal de Justiça, até onde eu sei tem uma Lei que foi aprovada, é isso mesmo?

Sim, foi aprovado o PLO n. 890/2020 que se transformou na Lei n. 4.910/20, após a sanção do governador. Eu me lembro de uma colega que disse assim ‘‘esse projeto já chegou na ALE aprovado’’, tentando é claro diminuir a responsabilidade dos responsáveis. Eu não quis entrar muito no mérito, porque o tempo vai dizer. Mas desculpas como essa, não colam e a mentira não se sustenta por muito tempo, logo as pessoas vão cair em si e perceber que houve inércia. Essa Lei vai prejudicar a categoria porque a tendência é a exceção (contrato temporário) se tornar uma regra, inclusive, para cargos de carreira permanente (técnico e analista) e se der certo não será só por 4 anos, como consta na Lei. Essa falta de articulação política vai nos custar muito caro.

Entrevista com Brunno Oliveira, o Jovem Prodígio do Sindicalismo em Rondônia  - Gente de Opinião

"O resultado do salto alto está aí, 0% de aumento no salário, indo para o 4 ano seguido".


4 – Brunno, como está a produtividade com o home office?

O aumento na produtividade é comprovado pelos números oficiais da própria instituição, inclusive vou te passar o link - ''Justiça em Números: TJ/RO é destaque pela alta produtividade de seus magistrados em 2020'', divulgado pelo site  (https://www.tjro.jus.br/noticias/item/13080).

No entanto, nenhuma contrapartida foi repassada a categoria, ainda. É importante deixar claro Caldeira, que trabalhar em ‘‘casa’’, não é benefício. E sim uma peculiaridade inerente da atividade ou você já viu o home office na rua? Eu vejo algumas pessoas usando esse argumento, que trabalhar em casa é o benefício, que estamos no lucro.

O que deve ser dito, é que existe muita cobrança, metas a serem cumpridas, ligações fora do horário de expediente, uso pessoal dos nossos equipamentos, aumento na carga de trabalho e o debate para ponderar ou mediar essa situação é zero. Estamos mal representados.

5 – A categoria de vocês está unida?

Não. Hoje a categoria está dividida em grupos e a pacificação desses grupos passa pela saída da atual Diretoria, que fomenta o tempo todo a divisão. O que eu faria? Eu trabalharia a união. Independente de ter votado em mim ou não, eu respeitaria a opinião de todos, jamais usaria a máquina para denegrir os sindicalizados (ainda que estejam errados), aceitaria as cobranças com naturalidade e jamais ameaçaria servidor nenhum com  processo. Quem criou a divisão da categoria em patamares elevados, foi essa atual gestão, isso é indiscutível. Perderam mais tempo perseguindo  internamente os colegas, do que trabalhando pelos interesses da classe. O resultado do salto alto está aí 0% de aumento no salário, indo para o 4 ano seguido.

A categoria desunida não tem força pra brigar contra o sistema. E a diretoria sozinha consegue no máximo espernear nas redes sociais e nada mais.

6 – A divisão da categoria beneficia quem?

Olha como é o falso moralismo, aqueles que mais falam da falta de união da categoria é quem mais se beneficia dela, porque divide os votos. Em compensação nunca vão conquistar nada coletivamente. O maior beneficiado é o patrão que submete os seus interesses facilmente e a categoria fica perdida igual cego no tiroteio. Se a prioridade fosse a união você não acha que em 3 anos dava pra conseguir isso?

7 - Se a solução é unir por quê o sindicato não promove essa união?

Porque não existe uma relação de confiança e sem confiança não se constrói uma base. O próprio general que deveria dar o sangue por nós é o primeiro a pedir a nossa cabeça. Então, é uma ditadura disfarçada que se volta contra o próprio filiado, que é descartado na medida que ele não serve mais.

8 – A forma como a atual diretoria do Sinjur conduz o Sindicato é suicídio?

Sim, com certeza. É um palanque eleitoral eterno. E quando precisam da gente, pra fazer um protesto, uma paralisação e tal (ninguém vai). Na prática é como se fosse o ‘‘clube da luluzinha’’, que governa para um grupo muito pequeno de servidores, o que demonstra claramente ser impossível eles terem tido a quantidade de 956 votos.

9 – A eleição realizada nesse ano de 2020 foi fraudada?

Não teve transparência, legalidade, bom senso, tratamento igualitário, boa fé e nem imparcialidade. Pela 1ª vez a eleição foi virtual e apenas uma chapa teve acesso direto a empresa contratada e as informações privilegiadas, advinha quem? Nós não somos ingênuos, sabemos de todos os atos praticados e temos fé que a justiça será feita. Se não for a da terra, será a de Deus. 

10 - Qual o Presidente do Sinjur que você mais admira?

Mauro e Carlinhos. São pessoas que nunca perderam a simplicidade e quando estiveram no poder não fizeram mal para ninguém. Eles aprenderam rápido, que o cargo é passageiro mas as amizades são pra sempre.

11 - Qual a sua mensagem final para os servidores do judiciário e para o ano de 2021 de sucesso?

É de otimismo, fé e preocupação. De otimismo pela nossa história de superação, luta e resistência. De fé, para superar as injustiças e as forças do mal que atuam contra os trabalhadores, as pautas visam sempre a retirada de direitos. E de preocupação porque estamos sendo guiados por cegos. Creio também que na questão da covid-19, a doença será finalmente controlada. E por fim, te agradecer Caldeira pela oportunidade, aos membros da Chapa 2 pelo empenho, todos os nossos companheiros de luta, os internautas  e que 2021 seja de muitas vitórias, saúde, paz e bênçãos para todos nós. Feliz Natal e Ano Novo, forte abraço!

Entrevista com Brunno Oliveira, o Jovem Prodígio do Sindicalismo em Rondônia  - Gente de Opinião

Mais Sobre Política Sindical

Sindicatos reúnem-se para debater Reforma da Previdência

Sindicatos reúnem-se para debater Reforma da Previdência

Na manhã desta quinta-feira, 12, representantes de Sindicatos de Servidores Estaduais de Rondônia reuniram-se na sede do SINDAFISCO. O principal obj

Servidor Brunno Oliveira é eleito Presidente da ASSEJUS/RO e diz que vacinação será prioridade

Servidor Brunno Oliveira é eleito Presidente da ASSEJUS/RO e diz que vacinação será prioridade

O servidor do TJ/RO, Brunno Oliveira, foi eleito Presidente da recém-criada ASSEJUS (Associação dos Servidores da Justiça no Estado de Rondônia), qu

Lei do Home Office de Rondônia também será feita no Acre

Lei do Home Office de Rondônia também será feita no Acre

O Presidente do SINSPJAC (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Acre), Isaac Ronaltti, concedeu entrevista a nossa redação (21/01), para inf

Eleições do Sinjur

Eleições do Sinjur

RENOVAÇÃO é a palavra de Ordem