Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

Idade do gelo entre a Alemanha e os EUA reforçará a vontade de união na UE


Idade do gelo entre a Alemanha e os EUA reforçará a vontade de união na UE - Gente de Opinião

           OS USA retiram da Alemanha 12.000 soldados

O plano de Trump é castigar a Alemanha e retirar da Alemanha 12.000 dos 36.000 soldados americanos aqui estacionados e transferi-los para outras regiões da NATO (Bélgica, Itália, Polónia). Segundo os planos, mais de metade regressarão, por enquanto, aos EUA e 5.600 deverão ser colocados dentro da Europa.

Num futuro próximo cerca de 2.000 soldados americanos serão  transferidos para a Bélgica (Mons).

No passado 15 de agosto foi assinado um contrato com a Polónia onde 1.000 soldados da Alemanha serão juntados aos 4.500 soldados americanos já lá estacionados.

Na sua viagem à Europa o ministro dos negócios estrangeiros dos EUA Moke Pompeo evitou a Alemanha. Os EUA punem a Alemanha porque não tem gastado os 2% do seu produto interno com a NATO e por planear a importação directa de gás da Rússia. (Interessante o facto de a Bélgica, que gasta apenas 0,93% do PIB com a NATO, recebe soldados da Alemanha que, por seu lado, participa para a Nato com 1,39% do Produto interno bruto (isto é: 47 mil milhões de euros). A partir de 2021 a quota dos EUA nos custos conjuntos para a NATO será reduzida dos atuais 22,1% para 16,35% enquanto que a quota alemã deverá aumentar de 14,8% para 16,35% (1).

Os USA e a Polónia pretendem maior colaboração na política externa e uma cooperação económica mais estreita.

A situação europeia sem a NATO seria mais problemática do que é. A UE ainda se encontra dividida em potências: a maior potência militar é a Inglaterra; a  maior potência económica é a Alemanha; a França, como potência atómica é militarmente muito superior à Alemanha. Isto tem criado uma situação de rivalidades mais do que união como se viu com o Brexit. A filosofia de defesa europeia ainda parte do princípio de que só  a Nato com os USA podem garantir a paz europeia.

A divisão só favorece os interesses de terceiros e impede a expressão do poder europeu a nível de conflitos internacionais.

Com a saída do Reino Unido da UE é do interesse da França unir-se à Alemanha; também por isso se pretende criar o Quartel-General Militar da UE. Von der Leyen já avisou: “Precisamos de um forte pilar europeu na Nato”.

A vontade de Trump será certamente seguida pela próxima Administração americana. O surgir da nova superpotência mundial China obrigará os USA a ter de reorganizar os seus centros de interesse deslocando-os para a Ásia.

Talvez esta seja uma oportunidade para a Europa se reconsiderar e estender os braços para a Rússia e assumir a África como centro da sua influência.

António da Cunha Duarte Justo

Notas in Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=6058

 

ACORDO IMPORTANTE ENTRE ISRAEL E OS EMIRATOS ÁRABES

Depois dos acordos com o Egito e a Jordânia, Israel conseguiu finalmente firmar um acordo de normalização das relações com os Emiratos Abu Dhabi e os Emiratos Árabes Unidos (EAU).

Seria de desejar uma pausa na anexação israelita na Cisjordânia e na luta dos palestinianos.

O Irão que não reconhece o direito à existência de Israel, reagirá apoiando mais fortemente o terrorismo xiita na região.
Mais um trunfo para Trump.

Mais Sobre Opinião

Está avisado, governador!

Está avisado, governador!

O mundo todo está atento para adquirir, logo que isso seja possível, a vacina contra o novo coronavírus. Isso significa, obviamente, que quem dormir

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Quando se trata de fazer arranjos políticos, o Congresso Nacional não deixa por menos – com as devidas exceções -, apesar de essa não ser uma caract

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Diante de severas crises que costumam abalar as Nações, tudo que se espera dos seus governantes, são ações, atitudes e comportamentos sensatos, equi

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Em novembro próximo, o eleitor de Porto Velho terá um encontro marcado com as urnas. Vamos escolher prefeito e vinte e um vereadores. A campanha, poré