Porto Velho (RO) quinta-feira, 30 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Cultura

As Quilombo, Residência Artística Flutuante pelas águas do Vale do Guaporé


As Quilombo, Residência Artística Flutuante pelas águas do Vale do Guaporé - Gente de Opinião

A diversidade das comunidades que fazem parte do Vale do Guaporé é tema da Live Quilombo, Residência Artística Flutuante pelas águas do Vale do Guaporé, com exibição da videodança: GuaritêBenguela e do documentário “Quilombola veias negras do Guaporé”. Após exibição será realizado debate com convidados para discussão e aprofundamento do tema. O projeto será transmitido online nos dias 16 e 17 de fevereiro a partir das 19h.

O projeto foi contemplado no Edital nº 34/2021/SEJUCEL-CODEC - 2ª Edição Mary Cyanne - Prêmio de Produção Artístico-Cultural para transmissões ao vivo/gravadas - Lei Aldir Blanc.

Sobre o projeto

Quilombo, Residência Artística Flutuante pelas águas do Vale do Guaporé, no Estado de Rondônia – Amazônia foi uma residência/intercâmbio artístico entre artistas da dança de Porto Velho e artista brincantes (os jovens, os mestres e as mestras) dos quilombos das cidades brasileiras e bolivianas ao longo do Rio Guaporé (Vale do Guaporé).

O Vale do Guaporé é um lugar único, por sua paisagem natural e humana. Comunidades indígenas, quilombos que habitam esse celeiro espetacular de memórias, sons, movimentos e imagens do Brasil e da Bolívia. O Vale do Guaporé situa-se na fronteira Brasil-Bolívia, dentro de boa parte do território de Rondônia e com poucos estudos acerca de sua população, suas festas e danças.

A proposta, além de mostrar os valores culturais registrados nos documentários, é de dar visibilidade aos quilombolas e as condições de vida, como o difícil acesso territorial e de comunicação, baixa visibilidade e falta de políticas públicas afirmativas e reparativas, como o direito às suas tradições culturais e a demarcação e garantias de suas terras. Além do mais o povo quilombola tem um grande legado na construção do Estado de Rondônia.

Trajetória

O projeto foi selecionado pelo Edital da Funarte Klauss Vianna de fomento a dança e foi executado em 2015, em 14 Quilombos, gerando vários conteúdos e produtos culturais, a exemplo de 01 vídeodança: GuariterêBenguela  (5’43) e um documentário: Quilombola veias negras do guaporé (26:07). A vídeodança recebeu mais de 5 prêmios em festivais da Amazônia, destacando-se como um registro importante da dança que é praticada nesses espaços e territórios de pertencimentos do povo guaporeano. Já o documentário ganhou visibilidade e ultrapassou as fronteiras brasileiras sendo exibidos em diversos país, entre eles a Bolívia e a República de Angola, na África.

Mais Sobre Cultura

Dia 29/06 tem lançamento de clipe tecnobrega do grupo As de Saias

Dia 29/06 tem lançamento de clipe tecnobrega do grupo As de Saias

O grupo As de Saias se prepara para o lançamento do videoclipe da canção tecnobrega “Nó”, dirigido por Juraci Júnior, em uma co-produção entre Casa

Projeto Sesc 52 leva programação literária em suas últimas semanas de circulação no interior de Rondônia

Projeto Sesc 52 leva programação literária em suas últimas semanas de circulação no interior de Rondônia

O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE de Rondônia, por meio do Sesc/RO, reafirmando seu objetivo de integração, inclusão social e fomentador da cultu

Cia de Artes Ji-paranaense apresenta nos dias 27 e 28 de junho espetáculo inspirado na migração de mulheres no ciclo da borracha.

Cia de Artes Ji-paranaense apresenta nos dias 27 e 28 de junho espetáculo inspirado na migração de mulheres no ciclo da borracha.

Desde sua criação a Cia Clandestinos de Artes vem abordando temáticas de grande importância que vão desde assuntos da esfera intimista como também n

O menino do coração de ferro

O menino do coração de ferro

Dia 26 de Junho às 20h de Rondônia e às 21h de Brasília no canal do YouTube do Conexão Norte o Autor Fabiano Barros lança o audiobook O MENINO DO CORA