Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de abril de 2021
×
Gente de Opinião

Montezuma Cruz

Breves reflexões de janeiro


Breves reflexões de janeiro - Gente de Opinião
Duas semanas atrás, andei de metrô de superfície entre Novo Hamburgo e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Vagões cheios, pessoas educadas, os idosos sempre dispondo de seus lugares no trem. Repeti três vezes o trecho.

Testei também o confortável ônibus circular da Wendling Transportes, entre Dois Irmãos, na encosta da Serra Gaúcha, e Novo Hamburgo, no Vale do Rio dos Sinos, a menos de R$ 5 a passagem pela viagem de 12 quilômetros.

Não exageraria em repetir a máxima do "transporte de primeiro mundo", porque o metrô é uma "obra sem fim" sempre carente de novos investimentos, como dizia o saudoso senador mineiro Eliseu Resende. Metroviários da Trensurb-RS fixaram cartazes nos vagões, denunciando que o estatal investe em segurança, enquanto privado deixa enferrujar o trem.

Andei num trem que atende a 22 estações, totalizando 43,4 quilômetros de extensão, transportando diariamente 228 mil usuários. De dez em dez minutos o usuário dispõe desse trem.  

Hoje de manhã, ao esperar meia hora na Rua Andreia, no Aponiã, pela chegada do ônibus do Guajará, rumo ao meu local de trabalho, transportei-me à realidade da planície porto-velhense. E logo rejeitei pensar naquela novela sem fim do consórcio monopolista.

Não quis comparar metrô com ônibus sucateado, porém, demonstrar o quanto o bom transporte urbano funciona quando dispõe de boa frota, cumpre horários e trata o cidadão com o devido respeito.

Parafraseando a música de Erasmo de Carlos,  "vi caminhões e carros apressados – e muitos táxis compartilhados também – a passar por mim", embora recusasse a "ficar sentado à beira de um caminho que não tem mais fim". Ou seja, 2019 terminou, 2020 chegou, e o povo, ah! o povo, este é "apenas um detalhe", conforme a ótica daquela ex-ministra bailante do governo Collor de Mello.

Sonho de consumo: que a Prefeitura, o Governo do Estado e a sua Agência de Regulação tenham pulso em chamar a todas as classes de transportadores ao diálogo, cativando investidores a acreditar em Porto Velho, solucionando de vez essa enorme lacuna. Já caminhamos para os 600 mil habitantes, é hora da consciência se abrir e do juízo funcionar.

Ia falar da essencial nova estação rodoviária, mas travo a língua. Uma coisa de cada vez.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Montezuma Cruz

Álvaro Dias sugere curso para tomadores de empréstimos aprenderem mais sobre conservação ambiental

Álvaro Dias sugere curso para tomadores de empréstimos aprenderem mais sobre conservação ambiental

O senador Álvaro Dias (Podemos-PR) propôs esta semana ao Plenário a alteração da Lei nº 6.938, de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do

Marcha para Jesus agora é Patrimônio Imaterial de Rondônia

Marcha para Jesus agora é Patrimônio Imaterial de Rondônia

A Marcha para Jesus, evento que reúne milhões de pessoas no mundo e, pelo menos, 103 mil pessoas em Porto Velho, é agora Patrimônio Cultural e I

Guajará-Mirim é top na culinária e na solidariedade com sua vizinha, no Beni

Guajará-Mirim é top na culinária e na solidariedade com sua vizinha, no Beni

O incêndio é do lado de lá, quem socorre são os bombeiros brasileiros de cá. Safras agrícolas de Guayaramerín (Beni) para exportação entram pelo rio

Professor de Física publica artigo científico sobre o quarto estado da matéria, o plasma

Professor de Física publica artigo científico sobre o quarto estado da matéria, o plasma

Professores de Física em Porto Velho Professor publicaram na revista The Brazilian Journal of Development o artigo científico intitulado "Construção d